DICAS PARA MÁQUINAS DE COSTURA

1. Diga não ao óleo de cozinha !


Nunca, mas NUNCA, coloque óleo de cozinha na sua máquina de costura, mas nem um pinguinho. É o erro mais grave que alguém pode fazer. Já ouviu de gente que coloca óleo de cozinha em dobradiça de porta? Nem se inspire neles. Está muito errado, não pensem que funciona. Este tipo de óleo não é lubrificante. Depois de um tempo, ele vira uma graxa que trava e endurece os mecanismos da máquina. A sugestão é super simples. Compre um vidrinho de óleo especial para máquina de costura. Lá na oficina, uma garrafa de 1 litro custava R$ 7,00. Vai durar a vida inteira para quem costura em casa e vale cada centavo do investimento! Para quem não sabe quanto colocar, é melhor errar pra mais do que pra menos. Por exemplo, quem usa a máquina diariamente, pode colocar óleo uma vez por semana nos pontos de lubrificação. Se você colocar muito, o máximo que pode acontecer é sujar a roupa. Mas para evitar isso, basta esperar descer todo o óleo. Daí você levanta o calçador, pisa no pedal e deixa a máquina funcionar por alguns minutos enquanto o óleo vai se dispersando.



2. Cuidado com passagem de linha errada !

Aprenda a passar a linha na sua máquina. Apesar disso parecer um detalhe bobo, quem não faz isso direito está atrapalhando diretamente a durabilidade da máquina. A regra geral é: use todos os passantes. Afinal, se eles existem, estao lá por algum motivo. Os engenheiros que projetaram sua máquina usaram as leis da Fisica para chegar no melhor jeito de tensionar a linha. Se você não tem certeza sobre como passar a linha na sua máquina, consulte o manual. Se perdeu, neste site tem vários manuais escaneados. O problema de passar a linha do jeito errado é que aumentam as chances da linha embolar embaixo. E acontecendo isso, mais fiapos passam pelas engrenagens, mais chances tem da linha ficar presa, mais podem estragar peças delicadas, aumenta a necessidade de se fazer regulagem e por aí vai. Convencidos?

3. Nada de abrir a máquina ou forçá-la !


Se você não entende muito de manutenção, é melhor passar a bola para um profissional. Muitos dos grandes estragos acontecem pelas próprias mãos. Eu mesma quebrei a casinha da bobina tentando encaixá-la de onde tirei – na hora de colocar de volta fiz muita força e aí, já era. Ainda perdi um tempão tentando encontrar uma de reposição, porque minha máquina é antiga. Além de desastres como esse, existe também o perigo clássico de desmontar, tirar várias pecinhas e depois não conseguir voltar do jeito que estava. Tipo, você pensa que terminou e de repente acha um parafuso que não lembra de onde veio? Argh!!



4. Fique de olho na voltagem !

Antes sentar na cadeira e pisar no pedal, tenha certeza de que a voltagem da máquina e da cidade são as mesmas. Se você ligar uma máquina 110 em uma tomada de 220, vai queimar o motor. Já o contrário, de 220 pra 110, é menos grave – a máquina só não vai funcionar por causa da fraca potência. Esta dica parece óbvia, mas acontece muito.


5. Delicadeza, please!

E por último tem as histórias de gente que quebra a máquina sem querer, por falta de cuidado. Ele comentou de pedais quebrados, de gente que abre a máquina e joga o pedal, ao invés de se abaixar e colocar no no chão. “Geeeente, que horror”, pensei com meus botões, mas depois lembrei que eu mesma fiz algo nessa linha. No transporte de casa para a loja, coloquei a máquina no banco de trás do carro. Dei uma brecada forte no caminho e a máquina capotou, caindo de ponta cabeça atrás do banco do passageiro. Como ela estava dentro da própria maleta, o estrago não foi tão grande. Mas nesse descuido, perdi o pino de colocar linha e a madeira da caixa rachou em alguns pedaços. Desnecessário. Dava para ter evitado, né?